Minha Vida - Com Dedicatória do Ex-Presidente

Minha Vida - Com Dedicatória do Ex-Presidente

AutorBill Clinton

Editora:  Globo

Ano:  2004

Conservação da Capa:  Bom Estado

Conservação do MioloBom Estado

ISBN:  9788525038883

Acabamento:  Brochura

Nº de Páginas:  918

Tradutor:  Cristina Cupertino

Formato:  16 x 21

Idioma:  Português

20% off

De: R$ 1.800,00

por R$ 1.440,00

Nota do Messias

A presente obra encontra-se em bom estado de conservação, contém, apenas, algumas manchas amareladas causadas pelo tempo.

Sinopse

O autor de "Minha Vida", cujo nome de batismo é William Jefferson Blythe IV, não usa meias palavras e nem se furta aos esclarecimentos em sua autobiografia, que chega agora às livrarias brasileiras. Clinton mantém o ritmo da narrativa e o estilo leve, sem afetações, tornando o livro umaleitura cativante.
Os relatos de Clinton revelam os detalhes das conquistas de seu governo e os problemas enfrentados no cotidiano na presidência dos Estados Unidos. Entre as conquistas, figura a perspicácia e sutileza usadas para fazer com que Ytzhak Rabin e Yasser Arafat dessem as mãos na frente das câmeras. Ele confessa lamentar dois episódios: não ter conseguido capturar o já então procurado Osama Bin Laden, que depois comandaria o ataque ao World Trade
Center; e a falta de resultados da ação americana em Ruanda, que não evitou o genocídio, em 1994. "Esse é um dos grandes arrependimentos da minha presidência", declarou. Houve ainda o custo, em sua vida pública e privada, do escândalo que quase inviabilizou sua presidência.
Com 32 páginas de fotografias, o livro "Minha Vida" não apenas mostra fatos, mas também pensamentos e todas as nuances das situações enfrentadas por Bill Clinton ao longo da vida, desde a relação complicada com o padrasto, passando pelo início do namoro com Hillary e pela experiência de ser pai de Chelsea. Por não ter conhecido o pai, que morreu três meses antes de seu nascimento, o ex-presidente fazia questão de estar presente em todos os momentos do crescimento da filha. "Por mais distante que fosse o evento, ou por mais longa que fosse a sua duração, eu sempre voltava para casa à noite para estar de manhã em casa quando Chelsea acordava. Assim eu podia tomar o café-da-manhã com ela e com a Hillary e, quando ela ficou maiorzinha, levá-la para a escola", conta ele.